asa-vence-murici-estreia-alagoano

asa-vence-murici-estreia-alagoanoO ASA estreou com vitória fora de casa contra o Murici por 3 a 2. O alvinegro arapiraquense, time do treinador Heron Ferreira, demonstra ser o time de melhor estrutura desta primeira fase do Campeonato Alagoano, que não contará com CRB e CSA, ambos na Copa do Nordeste.

Depois de um primeiro tempo equilibrado, o ASA foi melhor na etapa complementar com o destaque do veterano atacante Lima, de 32 anos e que jogou no Ceará-CE e ABC-RN. Além dos dois gols, o jogador abriu espaço e foi considerado o melhor atleta da partida, junto com o meia Didira.

O goleiro Zé Carlos (ex-Criciúma-SC e Paraná Clube) também foi bem nas investidas do Murici, embora tenha demonstrando indecisão no primeiro gol do time rival, feito por Everlan. Outro elogiado pela imprensa alagoana foi o lateral Renan Oliveira (ex-Guarani) que fez o cruzamento para o terceiro gol do ASA, marcado por Lima.

junior-amorim-esporte-alagoasJunior Amorin, 41 anos, muito mal
No lado do Murici, outro veterano atacante, Junior Amorin, de 41 anos, não foi bem. Ex-jogador de vários times do Nordeste, Junior Amorin estava parado havia dois anos e voltou nesta temporada a convite da diretoria do Murici, que forçou um elenco limitado sob o comando do treinador Gilmar Batista. Segundo a Rádio 101 FM, de Arapiraca, Junior Amorin não tem mais condições de atuar profissionalmente.

No final da partida, aos 40 minutos, o juiz José Reinaldo Figueiredo marcou um pênalti inexistente para o Murici, alegando toque de mão do zagueiro Augusto. Na cobrança, o atacante Alex Murici ainda descontou para o time da casa.

Coruripe larga na frente
Ainda na tarde deste sábado, o Coruripe assumiu a primeira colocação do Campeonato Alagoano ao vencer o Comercial, o time que parece ser um dos mais limitados do torneio, por 2 a 0, em pleno Estádio Olival Elias.

Comandado pelo técnico Jaelson Marcelino, que era auxiliar de Celso Teixeira (atualmente no Bahia de Feira-BA), o Coruripe começou melhor a partida e abriu o placar com Neílson, de pênalti. Após o gol, o Comercial cresceu e ficou muito perto de igualar o marcador. Porém, como diz o ditado “quem não faz, toma”, foi castigado na segunda etapa, com outro gol de Neílson, dando números finais ao embate.

Comentários

comentários